sábado, 23 de outubro de 2010

Uma crônica real

Na madrugada calada,
coisas paradas, sentidas.
De vez em quando o ruído do mar,
abro a janela do meu quarto
esse barulhinho aumenta, acalenta
e me ponho a lembrar de tudo.
Um filme, com personagens gigantescas,
mirabolantes e eu pequenininha
no enredo abrangendo todo o cenário.
Passagens escritas em cada linha.
Uma menina que corria aqui mesmo,
sonhadora, alegre ...
foi criando a sua história.
Seu príncipe encantado veio
galopando num lindo cavalo branco.
Puxou-a para si e lhe entregou todo o seu amor,
toda a cumplicidade de uma vida, até o fim
e na sua partida como compensação
deixou-lhe 3 corações perfeitos
para suportar toda a sua ausência e amenizar
todo o sofrimento e amarguras que a
vida implacável lhe traria.
Mas essa história ainda estava na metade,
seu principe se foi, ela chorou, chorou tanto
todos os dias, muitos e muitos dias,
aqui também chorou.
De repente sentada neste mesmo lugar
com o mesmo ruido borbulhante do mar ,
aproximou-se um novo personagem,
não era um principe, mas era um novo personagem
"encantado" como o momento pedia.
Trazia um sorriso franco, sincero,
dois braços abertos para acolher toda a falta
que existia e acolheu ... se deu ...
Mas veio cansado da vida, 50 anos de marcas,
muitas feridas na sua trajetória e nem toda a
vontade de recomeçar foi o suficiente para ele ficar,
pra segurar sua passagem nesta história e
ele também se foi ...  ela chorou de novo,
tanto, tanto,  agora chorava também pelas
tantas perdas, muitas ...
E crescia essa história.
As alegrias que eram tão confortantes,
voltaram a ficar tristes, porém diferentes.
E de repente um susto, um chaqualhão,
tudo não poderia acabar assim,
não desse jeito tão monóloga e o desespero
tomou conta. Passou a procurar a continuação
da sua história ...
Ela procurou,  rápida como um foguete,
entrou no faz-de-conta, queria do fundo da sua alma
continuar, tropeçou, levantou, não conseguiu.
Os seus sonhos são inatingíveis, são tristes,
estão além ... quase impossíveis de serem alcançados.
Às vezes, muitas vezes, se pergunta:
Que história é essa ???
Será aquele filme que no fim só faz chorar !!!

"A saudade é a maior prova que o passado valeu a pena" !!!
"O presente é a prova que somos o que o passado nos deixou" !!!

Postagem real: Sônia

Um comentário:

PROSAS DO CADERNO disse...

Olá Sônia, Conselho meu, só os fracos caem e não se levantam, os leoninos não.
bjs