sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Uma linda poesia da minha prima Elaine.

Nesse meu blog coloco tudo que gosto muito, essa poesia eu gostei muito !!!

Elaine Sanchez criou o documento: "SAUDADE...":



Saudade, sem melancolia, sem drama, sem depressão...mas uma enorme saudade!
Saudade uma nostalgia!
Saudade da infância, das brincadeiras de criança, de correr na rua, de andar de bicicleta, de brincar de pega pega, esconde esconde, mãe da rua, amarelinha, pular corda, brincar de casinha...
Saudade dos poucos brinquedos que tinhamos, mas que eram tão bem guardados e estimados.
Saudade do carinho de pai e mãe, das viagens para Ibirá ao som de Roberto Carlos.
Saudades das balas de goma da kopenhagen, que meu pai trazia toda sexta feira...
Saudades das bonecas de papel, da padaria da dona "mulher", com todos aqueles doces da minha infância...
Saudade de ir trocar nota fiscal por figurinhas Paulistinha, rs
Saudades do homem que vendia "quebra queixo", como era bom aquilo...
Saudades da horta do vovô, onde brincávamos com os primos, comiamos cenoura e morango no pé, e que sabor delicioso eles tinham...
Saudades de vô e de vó, colinhos tão protetores, calorosas e sempre cheios de carinho...
Saudades dos aniversários sempre comemorados, dos bolos da tia Helena...me lembro do gostinho deles ainda hoje...
Saudades da convivência com entes queridos e tão presentes e hoje tão ausentes...
Saudades dos primos, primas, tios e tias, do contato constante da infância junto deles.
Saudades de uma ausência que não voltará jamais, mas que mora sempre no meu coração, Tia Lena eterna, a que nunca foi mãe e ao mesmo tempo foi muito mãe de coração de tantos filhos que não eram seus.., uma saudade que machuca o coração.
Saudades dos meus irmãos quando pequenos, quantas brincadeiras na hora de dormir, tantas risadas, tanta cumplicidade, tempo bom que não deveria mudar nunca.
Saudade da leveza desse tempo, da falta de pressa, do tempo, da vontade de ficar junto, de caminhar junto...
Saudade da juventude...saudade!
Saudade de um tempo de liberdade, de um tempo de conquista, de novos horizontes, onde a infância ficou pra trás, para dar continuidade a vida.
Saudades de quem passou pela nossa vida, porque quem passa sempre deixa uma saudade!
Saudades dos amigos de escola, do primário, da primeira professora, da hora do recreio, da educação física, das festas escolares...
Saudade das boas músicas, das que marcam nossa vida, e sempre tem uma marcante!
Saudades dos bons filmes, dos bons programas, de uma época em que assistir tv era um grande prazer, de uma época que sabíamos a hora de parar e desligar a telinha, para comer, para conversar, para se divertir, para ficar com a família.
Saudade da época que a tecnologia não nos dominava, tinhamos vida própria, independente de televisão, celulares, computares, internet, e outros.
Saudades dos tempos familia.
Saudades das festas de fim de ano, tão esperadas, da turma toda que se reunia, para a virada do ano!
Saudade da alegria desse dia! Onde o futuro era sempre esperado com tranquilidade e com paz!
Saudade de uma época onde parecia não ter tanto espaço para tristeza, para depressão, para amargura, para stress; ou talvez sabíamos lidar melhor com nossos problemas e frustações. Saudades de ir a igreja...saudades das reuniões de jovens, de cantar hinos, de escutar testemunhos tão importantes e engrandecedores.
Saudades dos amigos secretos com a turma de jovens da igreja, com a turma da escola.
Saudades da menina, que corria descalça na rua, que brincava até anoitecer, sem medo.
Saudades da moça bonita, de corpo acinturado, de formas perfeitas.
Saudades da mocidade dessa moça.
Saudades de mim!
Saudade da auto estima, que por algumas vezes me foge...
Saudade de namorar, de abraçar, de beijar, de paixão de adolescente, aquela felicidade explícita, que nos faz tão bem!
Saudades de ficar só com o amor, e viver o amor, na sua forma mais intensa!
Saudades de ouvir música alta, saudade de dançar...
Saudade...
Saudade, palavra de sete letras, palavra pequena e de tantos sentimentos, tantas palavras, tantas expressões...
Saudade, com certeza não é um ponto, e sim uma virgula, porque sempre virão tantas outras saudades, até o fim da nossa vida, e até quando se vai embora, o que fica é a saudade!!!


Tudo na vida é passageiro, menos a saudade!



Elaine Sanchez Alberto Dias ( 21/12/2010)

3 comentários:

jose vitor lemes disse...

Soninha! Como é bom vir aqui!
Depois dizem que saudade não têm corpo, falam até que ela é abstrata... abstrata que que nada, elas causam lágrimas e as minhas lágrimas são reais, este relógio que tenho dentro do peito existe,e acredite... ele assiste e vive as palavras bonitas desta saudade...

jose vitor lemes disse...

Que seja assim.
De tempo em tempo,
entrar no templo,
Nos vestirmos do alento,
passear a sua sala,
falar dos seus temperos,
olhar aquele quadro calado,
mas ainda cheio na memória.
Que tal relembrarmos a energia das nossas fotos!? –
Passava por nós uma admiradora...
Ela tinha o nome de todas as mães...
Chamava-se Laura!!!

Anônimo disse...

A Elaine sempre escreveu lindos textos.

Ricardo