quinta-feira, 25 de agosto de 2011



O que eu escondo?
Não sei...
Poucas coisas...
Bobas...
Algumas fortes...
Nem te conto.
Eu carregarei eternamente sozinha...
Sou forte, sou capaz de aguentar...
Quanto a ti não sei...
As mulheres são guerreiras
E silenciam quando precisam...
Compartilham o que podem
Dão o que tem.

Todas tem segredos
Amores violentos
Paixões interrompidas
Sonhos esquecidos...
Podem carregar dores, mágoas
Mas não transparecem a qualquer um.

Escolhem um homem para amar e servir.
Compartilhar alegrias e sonhos
Algumas tristezas e medos...
Mas tem medos que são só delas.
Tem desejos que são secretos.
Lembranças que são ocultas...
Através de olhos sinceros.

Mas elas amam mesmo assim...
Se entregam, se dividem.
Acreditam, esperam.
Possuem um amor infinito
E outras coisas infinitas...
Que mal cabem dentro delas
Tão frágeis e sensíveis
Tão certas e incertas...


Carolina Salcides escreveu esta poesia, certos poemas dela invade o meu espirito e incrivelmente as palavras dela são as minhas nuas e cruas. 


Um comentário:

jose vitor lemes disse...

Sônia,que descriminação boba. Qual lado fica o coração das mulheres!? Será diferente naqueles que te amam!?
É claro que não se pode negar: Mulher é vaso especial no seu papel de adjutora. Nisto eu concordo com a poetisa:

"Possuem um amor infinito
E outras coisas infinitas...
Que mal cabem dentro delas
Tão frágeis e sensíveis
Tão certas e incertas..."

beijos