segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sou minha melhor inquilina

O meu  só não é a falta de presença.
Mas a presente falta de sí mesmo.
E toda a falta é sombria, seca, vazia.
A vida é a arte de estarmos cheios de nós mesmos.
Estou me habitando.
Sou minha melhor inquilina ...
E em mim, só vai entrar quem eu deixar,
Teço a teia de minha própria vida, hoje sem nós !!!
Minha expressão é a melhor.
E moldada pelas estrelas, pelo vento, pelo sol, mar ...
E a expressão mais pura antiga e atual.
Sagrada canção de adoração em coro
De muitas almas e vidas, que em equilibrio
Fazem a minha realidade.



Falei: Sônia Mara Lemes de Oliveira
Inspiração na postagem de Carolina Salcides
Imagem da web

Um comentário:

PROSAS DO CADERNO disse...

Quando fico só a minha alma se apresenta, e nela tem a alquimia devida, tem um sol particular que me favorece de vida; "cria uma galáxia especial, direi dela: é minha terra natal! é o local de reconstruir, por as cercas onde for preciso, posso tear o meu sobrado,

*tenho que sair, depois continuo....
19 de outubro de 2010 02:22