segunda-feira, 18 de abril de 2011



Pensamentos dignos de ser ilustrado.


A maior prisão que podemos ter na vida é aquela quando a gente descobre que estamos sendo não aquilo que somos, mas o que o outro gostaria que fôssemos.
Geralmente quando a gente começa a viver muito em torno do que o outro gostaria que a gente fosse, é que a gente tá muito mais preocupado com o que o outro acha sobre nós, do que necessariamente nós sabemos sobre nós mesmos.
O que me seduz em Jesus é quando eu descubro que nEle havia uma capacidade imensa de olhar dentro dos olhos e fazer que aquele que era olhado reconhecer-se plenamente e olhar-se com sinceridade.
Durante muito tempo eu fiquei preocupado com o que os outros achavam ao meu respeito. Mas hoje, o que os outros acham de mim muito pouco me importa [a não ser que sejam pessoas que me amam], porque a minha salvação não depende do que os outros acham de mim, mas do que Deus sabe ao meu respeito.
Padre Fábio de Melo







Recebí hoje esta mensagem e adorei, aqui coloco as coisas que sinto, que marcam, que me alegra, que me aborrece e as coisas que não quero esquecer.  Aqui é um meio de me fazer livre e ao mesmo tempo presa as minhas tantas convicções e sentimentos.

2 comentários:

jose vitor lemes disse...

Concordo! A vida é uni em sua primeira dimensão, para tanto temos o livre arbítrio. Jesus Cristo veio para confirmar e nos libertar de qualquer prisão.

beijos

jose vitor lemes disse...

Temos que viver a nossa regra e nos enquadrar dentro dos conhecimentos básicos. Temos que compreender a nossa cartilha, pois... é sobre ela que seremos debatidos.
Temos que desenvolver a nossa capacidade de sinceridade, ela é o remédio. Palavras do Padre Fabio de Mello: "O que me seduz em Jesus é quando eu descubro que nele havia uma capacidade imensa de olhar dentro dos olhos e fazer que aquele que era olhado reconhecer-se plenamente e olhar-se com sinceridade."

beijos