segunda-feira, 28 de março de 2011

No fim da tarde
No crepúsculo diário
Eu desço as escadas do meu mundo
Onde o céu é dourado
Desço triste                                                            
Volto pra realidade
De pés descalços e grandes asas
Eu mulher, sonhadora e ansiosa
Me deito entre as rosas
Me resguardo no meu mundinho encantado
Onde a vista é mais bonita
Não há dor nem desespero
Apenas o doce sabor de ser
E de sentir...
E não precisar de mais nada para ser feliz.
Com todo o vale pra contemplar
Com tantas rosas a perfumar
Com as asas que me permitem voar
Como posso querer voltar?
Mas volto sim
Sempre.
Por você.
Que ainda não está lá comigo.
Porque desconhece esse meu mundo
Mas visite-o de vez enquando
Para me conhecer profundamente e se surpreender
De como estás sempre presente
Mesmo sem me perceber

(Carolina Salcides escreveu esta poesia,
mas com certeza eu senti mais,
ela não sabia, mas quem sabe saberá um dia).

Um comentário:

jose vitor lemes disse...

Olá Sônia! Que poesia?! Voltar para realidade
trazendo os pés descalço e grandes asas!!!
Acredito que é o mesmo que começar tudo de novo com a possibilidade de felicidade maior!

beijos