quarta-feira, 24 de outubro de 2012









Estava procurando inspiração para escrever alguma coisa real  e  as palavras  não me apareceram, lembrei que  tinha lido esse texto de Rubens Alves e tinha me identificado dentro dele como a coisa mais perfeita que poderia dizer.
                                                                                                                              

Contei meus anos e descobri
Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora....
Tenho muito mais passado do que futuro...
Sinto-me como aquela menina que recebeu uma bacia de jabuticabas...
As primeiras, ela chupou displicentemente..............
Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço...

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades...
Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem  elas admiram.
Cobiçando seus lugares, talento e sorte.....
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos...
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos...
Quero a essência.... Minha alma tem pressa....
Sem muitas jabuticabas na bacia
Quero viver ao lado de gente humana...muito humana...
Que não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade....

Um comentário:

jose vitor lemes disse...

É isso aí Sônia! Este Rubens Alves dá o parecer de estar num momento de verdade. Talvez seja por isso que ele quer viver ao lado de gente humana!
Veja você! Pensava que depressão só dava em mequetrefe como eu. rsrs.
Esta inquietação nas frases dele mostra que há um momento que a pressão do banal explode
É assim que me sinto: Lidando com mediocridades... Exatamente inquieto por ver os amigos com prazer único de destruição pelo simples marasmo da cobiça, e pela falta de capacidade para ser pessoa de verdade… Pessoa de verdade é autêntico, não precisa querer ser o outro…